Mulheres lideram melhor

5 10 2007

9788573125610.jpg

É o que afirma a consultora americana Lois Frankel, presidente da Corporate Coaching International, em seu livro “Mulheres Lideram Melhor que os Homens” publicado recentemente no Brasil. O assunto é controverso, mas a autora descreve algumas qualidades essenciais de influência que as torna naturalmente líderes.

Quer pela prática natural, quer pela educação, as competências femininas (…) representam apenas alguns comportamentos que as qualificam a ocupar postos importantes de liderança”

De fato, já é comprovado que a mulher utiliza intensamente o hemisfério direito do cérebro, que lhe confere melhor desempenho nos campo da emoção, linguagem, a subjetividade, e o relacionamento interpessoal. Áreas como RH, marketing e relações entre empresas vão muito bem quando há um salto alto no comando.

Uma pesquisa realizada pela Catho mostrou que o número total de mulheres contratadas para a presidências, vice-presidências, diretorias, gerências e outros níveis ligados a coordenação e comando aumentou de forma expressiva nos últimos anos.

Em 2000,  13,8% dos cargos de presidência das empresas eram ocupados para mulheres. Neste ano, esse percentual subiu para 20,7%. Para os cargos de coordenação o número saltou de 40,6% para 51,5%.

Será?

A máxima não pode ser propagada como verdade. Para se avaliar uma pessoa em um cargo de liderança é preciso considerar as circunstâncias envolvidas, o grau de maturidade e a equipe de trabalho. Os fatores biológicos não devem ser aspectos decisivos com relação à questão.

Os homens utilizam o lado esquerdo do cérebro diante das situações. Logo têm mais desenvolvidos aspectos como visão, objetividade, inteligência espacial, foco e determinação, características imprescindíveis para direção de uma empresa, ligadas à finanças, contabilidade, vendas.

Ninguém lidera melhor. Tanto homens quanto mulheres podem desempenhar diferentes tipos de liderança. Cada gênero se identifica com diferentes tipos de atividades. Há de se levar em consideração também que a cultura e o modo de vida atuais trazem para ambos visões diferenciadas de mundo.

A formação da criança também é crucial para o desenvolvimento pessoal. Meninos são sempre estimulados a desenvolver seu lado prático, montando carrinhos e brinquedos que ajudam a desenvolver o lado prático.

Meninas são estimuladas a desenvolverem características afetivas, brincando de boneca.

E se forem invertidos os papéis?!

Bom, se as mulheres são melhores líderes, a questão não é natural. Sem dúvida.

Até Mais!

Anúncios




A maternidade ainda é um sonho?

3 10 2007

540032938_8935db6da0.jpg


Ser mãe já foi um sonho comum a todas mulheres. Hoje, nos deparamos com várias notícias de mães que jogam crianças no lixo, nos rios. Não vou considerar aqui os aspectos socioeconômicos envolvidos na questão.

Meu objetivo é pensar se as mulheres modernas querem ser mães, simplesmente pelo prazer de ‘padecer no paraízo’.As mulheres que mais admiro profissionalmente são mães de no mínimo dois filhos. Não consigo pensar, a partir da minha experiência, que a maternidade dificulta a ascensão profissional de uma mulher.

Hoje nossas ambições aumentaram muito. Queremos tudo ao mesmo tempo, e o desejo de ser mãe sempre é postergado.Uma vez ouvi uma ginecologista dizer:

Muitas mulheres traçam uma linha do tempo. Primeiro ela entram na faculdade, depois na pós-graduação, casam-se, compram um apartamento, um carro, depois esperam ter estabilidade financeira e por volta dos 35 anos querem ter filhos. Ora, por que não ter filhos antes, se podem comprar bens porque não podem cuidar de um filho?

Realmente os filhos estão chegando cada vez mais tarde. A escolha tardia pela maternidade implica uma responsabilidade sobre os problemas que podem aparecer mais comumente nesta época da vida. Quanto mais velha a mulher, mais diífil engravidar e há mais chances de acontecerem problemas genéticos.
Tive a idéia deste post depois de receber um email da minha mãe, que me tocou bastante:

Ei filha !
Parabéns pelo seu texto no Blog, acabei de ler e estou muito orgulhosa como mãe e percebo em suas palavras que está muito feliz, diria que quase realizada. Li bastante mas ainda não tenho o dominio necessário, mas devagar eu chego lá.
Beijos , Rita.

Como será ter orgulho de uma pessoa gerada e educada por nós mesmas? Esse é um sentimento que só as mulheres podem ter.

No  Kit básico da mulher moderna há um texto sobre a experiência da maternidade que vale a pena ser lido. Muito bom mesmo.
Até Mais!